WhatsApp Image 2021-10-06 at 19.29.07

Você sabe o que é Slow Medicine?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on telegram
slow medicine

O conceito de Slow Medicine surgiu como uma alternativa ao modelo tradicional de cuidados de saúde, que, muitas vezes, é centrado na doença e também na pressa que as pessoas têm em curá-la.

A ideia central propõe uma abordagem muito mais humanizada, que valoriza tanto a relação médico-paciente quanto o cuidado integral da saúde.

Sendo assim, neste artigo, será explicado com maiores detalhes o que é Slow Medicine, serão listados os seus pilares e serão explicadas as características de um profissional que utiliza esse diferente tipo de abordagem na hora de atender um paciente.

Do que se trata a Slow Medicine?

Esse é um conceito relativamente novo na área da saúde, que surgiu como uma alternativa ao modelo tradicional de cuidados de saúde de que usa pomo giratório volante, por exemplo.

Como mencionado, a abordagem propõe um atendimento mais humanizado, que valoriza sempre e a todo momento a relação médico-paciente e o cuidado integral da saúde dessa pessoa.

De acordo com um dos especialistas e um dos criadores do conceito, a Slow Medicine é uma abordagem que reconhece a complexidade da saúde e também do cuidado no geral.

Em vez de buscar curas rápidas e soluções imediatas para os problemas de saúde, o conceito propõe um cuidado mais reflexivo, que leva em conta as necessidades individuais que cada paciente tem e pode vir a ter.

Ou seja, a Slow Medicine é um movimento que busca promover uma abordagem mais humanizada e individualizada na prática médica.

Isso sempre colocando ênfase no cuidado e na qualidade do atendimento ao paciente em detrimento do tratamento em massa e da maximização de lucros na clínica com porteiro eletrônico inteligente.

A filosofia por trás da prática se baseia na ideia de que a medicina moderna se tornou excessivamente mecanizada e impessoal, muitas vezes, deixando de levar em consideração o contexto e as necessidades únicas de cada paciente.

O termo Slow Medicine é derivado do movimento slow food, que teve início na Itália, na década de 1980, e se espalhou pelo mundo.

Ele é conhecido por estar sempre buscando valorizar a produção local e artesanal de alimentos, em oposição à produção em massa e aos fast foods, por exemplo. 

Da mesma forma, a Slow Medicine busca trazer de volta a atenção ao cuidado pessoal e individualizado aos pacientes do hospital com lavanderia hospitalar terceirizada, em contraposição a tratamentos atuais padronizados e impessoais.

Quais são os pilares da Slow Medicine?

Essa abordagem conta com alguns pilares extremamente fundamentais para o mercado, e entre os mais conhecidos é possível citar:

Cuidado com o paciente

A prática  coloca o cuidado com o paciente sempre em primeiro lugar, buscando entender suas necessidades individuais e oferecer um tratamento personalizado e centrado no paciente.

Relação médico-paciente

A relação médico-paciente é vista como um aspecto crucial para o sucesso do tratamento e da recuperação do paciente na Slow Medicine.

Valoriza-se a empatia, a escuta ativa, o diálogo e o respeito mútuo entre o médico e o paciente na clínica que mantém em dia a calibração de equipamentos laboratoriais.

Uso apropriado de tecnologias e medicamentos

O conceito reconhece a importância da tecnologia e também dos medicamentos na medicina moderna, mas enfatiza a importância de utilizá-los de maneira criteriosa e consciente.

Ou seja, buscando a todo momento maximizar os benefícios e minimizar os riscos e efeitos colaterais que essas tecnologias podem acabar levando aos tratamentos com medicamentos.

Abordagem multidisciplinar

A abordagem reconhece a relevância da colaboração entre diferentes profissionais de saúde, buscando uma abordagem multidisciplinar e integrada ao cuidado do paciente.

O objetivo central dela é oferecer um cuidado mais completo, que inclua aspectos físicos, aspectos emocionais, aspectos sociais e até mesmo aspectos ambientais.

Cuidado com o profissional de saúde

A Slow Medicine valoriza o cuidado com o profissional de saúde, reconhecendo o impacto da saúde e do bem-estar dos profissionais para a qualidade do cuidado que eles oferecem aos pacientes.

Isso inclui medidas para prevenir a síndrome de burnout e outras condições de saúde mental e física relacionadas ao estresse que pode vir do dia a dia no trabalho médico, por exemplo. 

Tomada de decisão em conjunto

A abordagem médica valoriza a relação médico-paciente e busca envolver o paciente no processo de tomada de decisão até sobre o tratamento para rugas profundas ideal para ele, por exemplo.

Em vez de impor tratamentos padronizados, o médico e o paciente discutem juntos as opções de tratamento e decidem qual é a melhor alternativa para o caso em específico.

Cuidado com o meio ambiente

A prática em questão considera o cuidado com o meio ambiente algo de grande relevância, pois promove práticas que minimizem o impacto ambiental da abordagem médica.

Isso envolve questões como a redução do uso de materiais descartáveis, a promoção de práticas sustentáveis e a valorização do cuidado com a saúde pública.

Esses pilares são fundamentais para a Slow Medicine e orientam a prática médica que busca uma abordagem mais humana e individualizada do cuidado ao paciente.

Características do profissional da Slow Medicine

Os profissionais de saúde que adotam esse conceito têm algumas características em comum, entre essas características se destacam:

  • A empatia;
  • A escuta ativa;
  • A comunicação clara;
  • O conhecimento técnico;
  • A capacidade de tomar decisões compartilhadas;
  • A abertura para mudanças;
  • A visão multidisciplinar;
  • O respeito ao meio ambiente.

O profissional de saúde que pratica a abordagem, em geral, costuma ser empático, ou seja, coloca-se no lugar do paciente, procura entender seus sentimentos e suas necessidades, e respeitar suas individualidades.

Esse profissional adepto da abordagem deve ter uma escuta ativa, ou seja, deve ser capaz de ouvir atentamente o paciente, prestando atenção nas suas palavras, nas suas emoções e também nos seus gestos.

O especialista precisa ser capaz de se comunicar de forma clara e objetiva, explicando ao paciente as informações sobre o diagnóstico, o tratamento e os cuidados de forma cuidadosa e acessível.

Além disso, o profissional de saúde que pratica a Slow Medicine precisa ter um conhecimento técnico sólido e atualizado, para oferecer ao paciente um tratamento de qualidade, com base em evidências científicas.

Um profissional que utiliza esse conceito deve valorizar a participação do paciente no processo de tomada de decisão. Isso significa que ele deve ser capaz de discutir com o paciente as opções de tratamento disponíveis.

Além disso, ele também deve ser capaz de explicar os riscos e benefícios de cada uma e ajudar o paciente que trabalha com aluguel light sheer a decidir qual é a melhor para ele.

A Slow Medicine reconhece que a medicina está em constante evolução e que é importante estar aberto às novas evidências clínicas e às mudanças nos paradigmas de cuidado. 

Um especialista da saúde que faz uso dessa abordagem deve estar disposto a atualizar a todo momento os seus conhecimentos e mudar as suas práticas sempre que for necessário em seu trabalho.

Sendo assim, esse médico, independente de sua especialidade, deve ter uma visão multidisciplinar do cuidado do paciente, buscando uma abordagem mais integrada e mais colaborativa com outros profissionais de saúde.

Esse especialista deve ter uma preocupação com o impacto ambiental de sua prática médica, buscando minimizar o uso de recursos e materiais que possam causar danos ao meio ambiente.

Essas são algumas das principais características de um profissional de saúde que pratica a Slow Medicine, cujo objetivo é oferecer um cuidado mais humano, personalizado e sustentável para o paciente que vende proveta de vidro 1000ml, por exemplo.

Considerações finais

Como visto no decorrer deste artigo, a Slow Medicine vem se mostrando ser uma abordagem inovadora na área da saúde, que propõe um cuidado mais humano e integral, valorizando a relação médico-paciente e o cuidado personalizado.

Seus pilares, que são cuidado com o paciente, relação médico-paciente, uso apropriado de tecnologias e medicamentos, abordagem multidisciplinar, cuidados com o profissional de saúde, entre outros, são fundamentais para uma medicina justa e eficaz.

É possível afirmar que os profissionais que utilizam esse método têm características específicas, como a empatia, a escuta ativa, a comunicação clara, o conhecimento técnico e a capacidade de tomar decisões compartilhadas.

Além disso, são conhecidos por terem uma boa abertura para mudanças, uma grande visão multidisciplinar, um grande respeito ao meio ambiente e muitas outras características para lidar com tratamentos como antimicrobiano hospitalar.

Ao adotar a abordagem, é possível que um especialista passe a oferecer um cuidado mais humano e efetivo aos pacientes, que sempre leva em conta as necessidades e também a história de vida de cada um dos pacientes.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Leia também:

Posts Populares

Cadastre em Nossa Newsletter e Receba Conteúdos Exclusivos e Com Prioridade!