Saúde digital: entenda o que é e seus benefícios

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on telegram
Saúde digital

Quando o assunto é saúde digital, a primeira ideia que vem à cabeça é a substituição do fluxo analógico de informações em forma de papel pelos arquivos registrados em um computador.

O que é saúde digital?

Seu conceito abrange amplamente todos os recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) que podem ser utilizados no dia a dia dos profissionais de saúde que trabalham na secagem de vasinhos das pernas, por exemplo. 

Os próprios pacientes também estão envolvidos nesse processo quando podem receber a emissão de laudos de exames à distância por meio das plataformas digitais, assim como seus prontuários são catalogados de forma eletrônica de forma prática.

Atualmente, muitas consultas médicas são realizadas por meio de vídeos e quando existe uma integração entre equipamentos e aparelhos com softwares, o monitoramento dos pacientes é facilitado, evitando filas em hospitais e clínicas.

As Unidades Básicas do SUS (Sistema Único de Saúde do governo) ganharam novas formas digitais de identificar um problema psicológico em um consultório de neuropsicopedagogia em crianças, podendo dar suporte aos pais de forma didática.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) define a saúde digital como sendo o “uso seguro e com positivo custo-benefício das TICs”.

Dessa forma, o suporte à área da saúde pode incluir a prestação de serviços, a vigilância e a educação dos pacientes para acompanharem essa modernidade.

É necessário, também, ter conhecimento na área de labioplastia laser Co2 e pesquisar os procedimentos por meio de literatura adequada, para proceder esse tipo de cirurgia, por exemplo. 

A importância da saúde digital 

Promover a saúde digital por meio da aplicação de novas tecnologias e inovações permite que os sistemas de saúde mundial, tanto as instituições públicas quanto as privadas, sejam mais responsivas para as pessoas que necessitam de cuidados.

É sem dúvida um longo caminho, mas o cenário mudou muito depois da pandemia da Covid 19 e, segundo pesquisas realizadas anteriormente, apenas 58% dos países possuíam algum tipo de estratégia digital em funcionamento.

Portanto, a OMS passou a considerar essas estratégias digitais importantes, porque por meio delas muitos dados podem ser obtidos para que informações de exames demissionais para motorista possam ser compartilhadas de forma responsável.

Essas informações acabam aprimorando o conhecimento das comunidades científicas que estão conectadas por intermédio das novas tecnologias, podendo ser publicadas em revistas, superando os encontros presenciais, que se tornaram limitados.

A identificação e avaliação das necessidades das pessoas foi facilitada, no sentido de poder ofertar meios de diminuir as demandas de trabalho, já que a era digital cada vez mais presente favorece a análise de homotoxicologia medicamentos, por exemplo.

Portanto, a saúde digital produz e disponibiliza informações importantíssimas e confiáveis, para verificar o estado de saúde de uma pessoa no momento em que ela precisar, em qualquer lugar que ela estiver (é o caso das teleconsultas, por exemplo).

Serviços digitais de saúde disponíveis atualmente

As novas tecnologias disponíveis fornecem qualidade quando são aplicadas no âmbito da saúde. Os serviços mais conhecidos são:

Telemedicina 

Ela facilita as consultas médicas à distância, permitindo que os cuidados para as pessoas necessitadas possam ser oferecidos em lugares remotos, que normalmente não oferecem acesso aos serviços básicos de saúde.

Com isso, o tempo do médico é poupado, diminuindo as despesas com seu deslocamento e do paciente também, que muitas vezes não tem recursos para despender com qualquer tipo de transporte.

Aplicativos 

Eles podem ser facilmente instalados em smartphones de médicos e pacientes e comumente são usados para monitorar o sono ou diagnosticar o índice de diabetes de uma pessoa, evitando assim consequências mais perigosas. 

Serious games

São como jogos eletrônicos, usados como recurso educativo para profissionais de saúde e estudantes, facilitando a formação acadêmica. 

Existem jogos, inclusive, que aumentam o conhecimento sobre patologias específicas que precisam ser estudadas.

Tecnologia vestível

O nome é bastante estranho, mas trata-se de roupas e complementos adicionais inteligentes, como pulseiras, óculos ou relógios que conseguem monitorar e recolher dados sobre a saúde do paciente, sem que ele precise sair da sua mesa corporativa

Realidade aumentada 

Ela serve para a visualização de órgãos em 3D e o histórico de saúde do paciente pode ser diagnosticado em tempo real, sendo possível inclusive realizar procedimentos cirúrgicos através de óculos confeccionados especialmente para isso.

Histórico clínico eletrônico 

O histórico médico passa a ser digitalizado e compartilhado, centralizando todas as informações e o médico que acompanha o paciente pode acessá-las quando precisar e quiser. 

O cenário da saúde digital no Brasil

Assim como em muitos países, o Brasil já possui algumas condutas práticas de saúde digital que estão incorporadas nos sistemas de saúde. 

A regulamentação ainda caminha a passos lentos no serviço de copeira hospitalar. O caminho ainda é longo.

Porém, muitos pacientes passaram a resolver seus problemas de saúde sem precisar sair de casa e a adesão aos serviços de telemedicina, por exemplo, são totalmente aceitáveis hoje em dia.

Inclusive o Brasil já possui empresas que trabalham com esse modelo de saúde digital, que sem dúvida consegue dar suporte aos médicos e até para pessoas que trabalham com higienização poltrona, obtendo grande sucesso nas orientações.

Quais são os benefícios da saúde digital?

A saúde digital permite a aplicação de novos métodos tecnológicos, ferramentas e canais de comunicação com os pacientes, trazendo uma série de benefícios, tais como:

  • Melhoria no monitoramento dos pacientes;
  • Os pacientes passam a receber mais informação;
  • Ajuda as pessoas a adquirirem hábitos mais saudáveis;
  • Facilita os profissionais de saúde a tomarem melhores decisões;
  • Promove um sistema de saúde mais acessível e equitativo;
  • Traz melhorias na eficiência dos hospitais e centros de saúde.

O contato com os pacientes é mais direto e prático, porque abre um caminho de comunicação digital, reduzindo a distância e o monitoramento do estado de saúde pode ser verificado em tempo real. 

Ao obterem mais conhecimento de como gerir a própria saúde, os pacientes podem tomar melhores decisões quanto a sua alimentação, por exemplo, algo muito útil durante a pandemia, já que os horários das refeições ficam desregulados.

Se o assunto é alimentação, aquilo que comemos e como comemos pode ser registrado em aplicativos, por exemplo, para que eles alertem a hora de realizar os exercícios físicos ou avisem como está a frequência cardíaca.

Portanto, os pacientes têm a oportunidade de criarem hábitos mais saudáveis, favorecendo as noites de sono para que a saúde não seja prejudicada.

Essa nova tecnologia permite a identificação das intervenções cirúrgicas mais adequadas, como também pode detectar precocemente algum tipo de doença. Dessa forma fica mais fácil para os médicos tomarem as decisões de forma responsável.

O acesso aos serviços de saúde fica independente do tempo e espaço, evitando deslocamentos, podendo levar a saúde até um número maior de pessoas, especialmente as que são excluídas socialmente. As oportunidades tornam-se iguais.

Pelos serviços estarem conectados, o funcionamento do sistema de saúde fica mais ágil, minimizando os erros humanos cometidos, e consequentemente, as despesas ficam bem menores.

Quais são as novas tecnologias em saúde?

A digitalização da saúde inclui o uso de tecnologias recentes, que estão disponíveis para os profissionais de saúde, por exemplo:

  • Internet of Things (IoT);
  • Big Data;
  • Inteligência Artificial;
  • Blockchain.

Além de Impressão 3D 3 4D, chatbots, e a realidade virtual.

Considerações finais

A saúde digital já é uma realidade no Brasil e todas as mudanças tecnológicas ainda continuam sendo debatidas por profissionais de saúde e órgãos regulamentadores.

A discussão se dá no sentido de preparar os profissionais e os hospitais e clínicas a se adaptarem com ela, de forma a proporcionar aos pacientes uma maneira mais próxima e responsável de cuidar dos seus problemas de saúde.

A transformação digital exige uma mudança de mentalidade que vem ocorrendo no últimos tempo, principalmente a partir da pandemia. 

Portanto, a saúde digital pode alcançar níveis evolutivos muito mais interessantes em diferentes cenários. 

Diante das adversidades ocorridas com o vírus da Covid 19, a área da saúde teve que se reinventar em todas as frentes para enfrentar o desconhecido, atuando nas linhas de frente, combatendo esse mal.

Mesmo diante de tantas mortes ocorridas, médicos e pacientes iniciaram um processo de colaboração conjunta, para que a saúde mental não fosse mais abalada do que ainda ocorre em alguns locais.

Ser mais digital não significa estar disponível em tempo integral, mas criar procedimentos mais ágeis para que as atividades rotineiras ocorram de maneira fluida e eficiente.

Após dois anos de pandemia, as questões pessoais dos pacientes e dos profissionais se entrelaçaram, alcançaram equilíbrio e aprendizado e hoje a saúde digital marca presença como uma grande conquista e vitória de todos. 

Leia também: