RT-PCR: tudo o que você precisa saber sobre o teste

JUNTE-SE A MILHARES DE PESSOAS

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on telegram

Desde de seu surgimento em dezembro de 2019, o novo Coronavírus se disseminou rapidamente pelo mundo, levando a Organização Mundial da Saúde a declarar estado de pandemia alguns meses depois.

Uma das formas de conter a contaminação da doença é realizar o diagnóstico precoce para tratamento e medidas de prevenção adequada. Para isso, a ciência vem, desde então, se dedicando a criar métodos de diagnósticos eficientes.

Dentre os exames disponíveis, temos o teste molecular (RT-PCR), sendo um dos mais importantes disponíveis. Por isso, nós da Brasil Emergências Médicas, vamos explicar tudo a respeito do teste RT-PCR. Confira!

Precisando de uma empresa para fazer seu exame RT-PCR?

clique no link abaixo e fale com um especialista

Clique aqui e fale com um atendente 

O que é o teste RT-PCR?

Os testes desenvolvidos para o diagnóstico da Covid-19 foram divididos em dois grupos: os moleculares e os imunológicos, e o teste RT-PCR está entre os do primeiro tipo.

Nesse tipo de teste, são coletadas do paciente amostras clínicas, como secreções nasais ou da garganta, com a ajuda de um swab. Em um laboratório especializado, é feita a análise para verificar se há material genético do vírus Sars-CoV 2.

Com uma sensibilidade elevada, o teste RT-PCR é indicado para detectar o vírus na fase ativa da doença, ou seja, em pessoas que apresentam os sintomas ou tiveram contato recente com alguém que testou positivo.

De modo geral, o RT-PCR já testa positivo dois dias antes do início dos sintomas e permanece por até 14 dias. A OMS recomenda realizar o teste para diagnóstico da infecção até sete dias após o início dos sintomas.

Quanto tempo para sair o resultado do RT-PCR?

O tempo de liberação dos resultados do RT-PCR, que anteriormente já chegou a ser de 10 dias, hoje é de cerca de 48 horas para pacientes ambulatoriais e 24 horas para pacientes internados. É possível encontrar laboratórios que entregam o resultado do RT-PCR em até três horas.

Como funciona o teste RT-PCR?

O mecanismo do RT-PCR se dá em várias etapas. Inicialmente, é utilizado a enzima transcriptase reversa para transformar o RNA do vírus em DNA complementar, ou apenas, cDNA. Após essa transformação, são inseridos dois primers, que consiste em uma fita de DNA, que irá auxiliar na amplificação do material genético em até 100 milhões de vezes. Dessa forma, é possível fazer uma observação para encontrar se o conteúdo molecular presente corresponde ao do agente infeccioso procurado, neste caso o Sars-CoV 2.

Passo a passo de como funciona o RT-PCR:

  • Há a transformação do RNA do vírus em DNA
  • DNA é aumentado utilizando fitas de DNA simples
  • Vê se há sinais do vírus nas amostras
  • Caso o resultado seja positivo, é confirmada a suspeita de coronavírus.

Quando fazer o teste RT-PCR?

Pelo fato de o exame detectar a presença do material genético do Sars CoV, é necessário que o vírus esteja presente na amostra coletada em sua forma ativa. Por isso, é indicado fazer o RT-PCR entre o 3º e 4º dia da doença, podendo se estender até o 10º dia. Caso o objetivo seja identificar se a pessoa teve contato com o vírus Sars-CoV 2 previamente, outros tipos de testes são mais indicados.

Vantagens do RT-PCR

Algumas vantagens do RT-PCR são:

  • O RT-PCR é reconhecido pelos cientistas e pela equipe médica como uma técnica robusta e bem documentada, sendo considerado padrão-ouro.
  • O RT-PCR é muito utilizado em pesquisa e na medicina, sendo uma tecnologia que já está em uso para testes para a COVID-19.
  • O RT-PCR é capaz de detectar infecções recentes das doenças, o que permite que os profissionais da saúde estabeleçam quem está infectado e quem não está e tomar as medidas necessárias.

Quais as limitações do RT-PCR?

Como podemos perceber, mesmo sendo um ótimo teste diagnóstico, entretanto, assim como todos os outros, o RT-PCR também apresenta suas limitações.

O RT-PCR possui baixas chances de apresentar falso negativo, por se tratar de um exame complexo e de alta sensibilidade. Dessa forma, ele necessita de um laboratório equipado com instrumentos específicos, pessoal capacitado para realizá-lo e de acordo com todos os protocolos técnicos e de biossegurança.

O exame RT-PCR também não é útil para diagnosticar casos prévios de contato com o novo Coronavírus, não sendo indicado para todos os pacientes. Além disso, ele é um exame mais caro e de menor disponibilidade se comparado com outros exames, como por exemplo, os que detectam anticorpos.

Vale lembrar que por demandar o uso de altas temperaturas para realizar as reações necessárias para o resultado do teste, é importante ter os materiais adequados na sua realização. Esses cuidados envolvem as diversas etapas do teste, como a seleção dos reagentes (a enzima utilizada e o primer) e os plásticos utilizados como tubos, tampas e selos.

Utilizar materiais inadequados e impróprios podem liberar inibidores ou contaminantes na reação, prejudicando e descartando o resultado final.

Qual o valor do teste RT-PCR?

De modo geral, o valor do teste RT-PCR gira em torno de R$ 250,00 a R$ 400,00.

Qual a diferença entre o RT-PCR e o PCR tradicional?

No PCR convencional, a replicação da sequência de DNA específica é feita com equipamentos termocicladores. Os primers acrescentados para realizar a reação são desoxirribonucleotídeos e DNA-polimerase termo resistente.

Já no RT-PCR, utiliza-se uma enzima chamada transcriptase reversa para converter as moléculas de RNA em cDNA que em seguida, assim como no CR tradicional, serão replicados e amplificados para análise.

É preciso fazer RT-PCR para viagem internacional?

Mesmo com a vacinação acontecendo para grande maioria das pessoas, apresentar o resultado negativo dos testes de RT-PCR para viagens internacionais continua sendo uma exigência para a maioria dos países que estão com voos liberados para receber passageiros vindos do Brasil.

De acordo com a lista do Ministério das Relações Exteriores, países como a África do Sul, Alemanha, Argentina, Bolívia, Canadá, Catar, Equador, Índia, Itália, Paraguai, Peru, Suíça, e Turquia exigem, antes do embarque, a apresentação do RT-PCR com resultado negativo, emitido em no máximo 72 horas antes do voo.

RT-PCR ou teste rápido para antígeno?

O teste rápido de antígeno, assim como o RT-PCR, utiliza swab para coletar as amostras de saliva e de secreções respiratórias no fundo do nariz e da garganta do paciente. Entretanto, a diferença desse tipo de exame é que ele utiliza a imunocromatografia para identificar as proteínas do vírus, método semelhante ao encontrado nos testes de gravidez. Se essas proteínas forem reconhecidas, o diagnóstico será positivo para a Covid-19.

Pelo fato de o teste de antígeno ser capaz de identificar apenas algumas específicas da proteína viral, a sua sensibilidade é inferior ao RT-PCR, principalmente em pessoas assintomáticas ou que já se encontram após o quinto dia de infecção.

Onde realizar o RT-PCR em Curitiba?

Você pode buscar por laboratórios especializados que realizam o teste de RT-PCR em Curitiba. Caso prefira realizar a coleta no conforto da sua casa, você pode entrar em contato com a Brasil Emergências Médicas que nós vamos até você!

Com profissionais capacitados e seguindo todos os protocolos de segurança, você realiza o exame RT-PCR sem sair de casa. Entre em contato conosco através do número do WhatsApp ou e-mail disponível no site.

Leia mais:

Participe da discussão

6 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *